Super Banner

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Por Onde Fui: A Bela Barcelona - Por Catarina Adamo

No Por Onde Fui de hoje temos Catarina Adamo, sim a do Por Onde Vamos mesmo, contando como foi sua passagem por Barcelona - Espanha e o que tem de legal e interessante para fazer por lá. Envie o seu texto também. 

Por Catarina Adamo 

A Bela Barcelona

Quando decidi ir para a Europa ouvi muitas opiniões de amigos sobre os lugares que eu não podia deixar de conhecer, mas eu precisava traçar um roteiro que não me fizesse perder muito tempo dentro de um avião ou trem, então tinha que escolher lugares próximos para economizar tempo. 

Depois de muito pesquisar e de muitas ideias, um dos meus destinos se tornou Barcelona, na Espanha.
Visão aérea de Barcelona
Barcelona está localizada na costa do Mediterrâneo, entre a foz do Rio Llobregat e a foz do Rio Besòs e é a maior cidade e a capital da região da Catalunha que fica no nordeste da Espanha. Por ter uma extensa área e uma população numerosa (cerca de 1.621.537 habitantes) é a segunda maior cidade de Espanha e da Península Ibérica, deixando o primeiro lugar para Madrid.

O que eu sabia sobre Barcelona até então? Infelizmente pouca coisa. Conhecia, claro, o famoso time de futebol, sabia sobre as obras de Gaudi que ali foram construídas (como a Sagrada Família, por exemplo) e que ali estavam os batedores de carteira mais ágeis do mundo. Mas, felizmente, Barcelona é muito mais do que isso. 

Meu primeiro dia foi praticamente perdido. Devido a um problema com a reserva no hotel que fiz usando uma agência de viagens, perdi quase o dia todo para conseguir uma transferência para um hotel mais central e acabei conhecendo apenas o bairro (que não me lembro o nome) onde fiquei nesse dia, foi também quando descobri que eles também têm esquilos por lá! Pode parecer bobo, mas é muito legal ver um bicho que você nunca viu pela primeira vez!


No segundo dia saímos cedo para fazer a transferência de hotel e foi quando tivemos a oportunidade de conhecer o transporte público de Barcelona. Usamos trem e metrô e foi mais uma surpresa para mim. Primeiro porque, até então, eu só tinha me comunicado em inglês no hotel e tive a oportunidade de escutar o catalão na estação (sério, achei muito difícil, nem parecia que eu estava na Espanha). Segundo que eu não imaginava que uma cidade com uma linha de metrô tão extensa e com tantas linhas não teria tantas escadas-rolantes (não que eu seja só preguiçosa, mas andar com malas grandes e de transporte público é um tanto cansativo). 

Como eu já disse, Barcelona é conhecida pelos ligeiros batedores de carteira e se você não estiver preparado, dança. Não me roubaram, fui bastante preparada e atenta para esse tipo de problema e deu certo. Como o metrô é um lugar com alta circulação de pessoas, é importante redobrar a atenção. Não custa nada carregar sua mochila pendurada para frente e ficar de olhos bem abertos o tempo todo. Eu usei um porta-dólares que também foi muito prático e me poupou dessa dor de cabeça. 

Plataforma do metrô de Barcelona
O primeiro ponto turístico que fui conhecer depois de trocar de hotel foi a Sagrada Família, do famoso arquiteto Antoni Gaudi. A construção desse templo católico teve início em 1882 e ela foi inaugurada só em 2010. Tanto tempo de espera valeu a pena. A Sagrada Família é sensacional. Além de grande, ela é riquíssima em detalhes do lado de fora (não conheci do lado de dentro). São 4 faces diferentes na mesma igreja. Há também a possibilidade de visitar a parte interna, mas é preciso pagar uma taxa que varia de 19 euros a 24 euros. Tudo depende do que você quer ver e como. Pode ser com guia, sem guia, incluindo as torres ou não e assim por diante. A melhor maneira de descobrir os tipos de pacotes é entrando aqui as opções.

Sagrada Família
Não recomendo comer nos restaurantes próximos à Sagrada Família, são bonitos, mas também são caros e não servem assim tão bem. Digo isso porque eu almocei em um restaurante lá, onde pedi duas pizzas brotinho e água para beber e não foi barato e nem tão bom. 

Alguns hostels oferecem a seus hóspedes passeios gratuitos, com guias, que levam os interessados para conhecer os principais pontos turísticos a pé (os famosos "Free Walking Tours"). E vou te dizer, vale muito a pena fazer. 

Os guias se comunicam em inglês ou espanhol, dependendo da preferência dos participantes. Nós não éramos hóspedes de hostel, mas estávamos com um amigo meu que era, então pudemos fazer o passeio sem problemas. É uma maneira barata, divertida e interessante de se conhecer os lugares. Você só precisa estar disposto a caminhar bastante. Normalmente esses tours saem da Praça Real e são divididos para que você conheça um pedaço da cidade por vez. 

Praça Real
Eu e minha mãe fizemos o tour em dois dias, no primeiro fizemos o que mostrava as construções de Gaudi, inclusive a Sagrada Família que já conhecíamos. No segundo, conhecemos a parte gótica da cidade. 

Os dois tours foram muito interessantes e valeram as gorjetas que demos aos guias (afinal, é disso que eles sobrevivem). Aprendi coisas muito interessantes sobre a história da cidade, tive a oportunidade de conhecer a universidade de arte que leva o nome de Picasso e me diverti horrores. O único problema é que muitos dos prédios construídos por Gaudi cobram entrada para você conhecer seu interior. A famosa Casa Batlló (a casa de ossos) é um prédio residencial e os visitantes só podiam conhecer algumas partes internas. É muito bonito, mas eu me contentei em conhecer apenas a parte externa desses lugares porque a grana tava curta.

Casa Batló
Universidade que leva o nome de Picasso
Barcelona é uma cidade plana, então descobrimos que a melhor maneira de se locomover lá é de bicicleta. Além de ciclovias, você pode arrumar bicicletas por preços bem interessantes. Pudemos pedalar até a praia, onde descobrimos que não existe frescura para os catalães. Você pode ir apreciar o mar mediterrâneo usando roupas normais, roupas de banho ou até mesmo sem roupa. Tudo isso misturado e sem qualquer tipo de preconceito. 

Passeio de bicicleta perto da praia

Mar mediterrâneo
Agora se você quer encontrar de tudo um pouco em um espaço só, a ideia é ir fazer uma longa caminhada pela La Rambla, que é uma espécie de calçadão. Lá você encontra lojas de souvenires, artistas de ruas como estátuas vivas, pintores vendendo suas telas, artesãos vendendo suas obras e muitos estrangeiros. Há também muitos restaurantes que vendem tapas (porções) e sangria (uma espécie de poncho, feito de vinho com pedaços de frutas) que podem ser degustados em mesinhas espalhadas pela La Rambla. 

Sangria

Tapas
É na La Rambla que dizem que desfilava o famoso Homem Elefante, um homem todo tatuado que andava nu pelo calçadão. E por que o apelido? Bom, ele tinha a cabeça de um elefante tatuada na região da virilha e a tromba do elefante era...vocês sabem. Infelizmente eu não tive a oportunidade de ver o Homem Elefante, mas soube pelo guia do free walking tour que em Barcelona não era proibido andar pelado (agora é). Você podia andar totalmente nu ou sem calças, mas caso andasse sem camisa e fosse visto por um policial, teria que pagar uma multa. Vai entender, né? 

Trecho da La Rambla
Barcelona tem uma arquitetura interessante, a arquitetura gótica forma ruelas onde você pode encontrar de tudo um pouco, é como se estivesse em um filme. A parte moderna também é de cair o queixo, parece que os catalães gostam de inovar nessa parte de arquitetura, é parte da história deles. 

Lateral da Casa Batló

Ruas bastante estreitas e arquitetura conservada
A cidade tem uma diversidade cultural muito grande. Encontrei gente do mundo todo que trocou os mais diversos lugares para viver lá e nenhum se arrepende da escolha. Há muitos indianos que são proprietários de lojas, e esses indianos eu vou contar, sabem fazer negócio. Eles se esforçam muito para vender seus itens e são capazes de fazer qualquer negócio, mesmo.

Impressionante o nível de detalhes da arquitetura

Infelizmente não pude conhecer o famoso estádio de futebol, o Camp Nou, mas pretendo voltar a Barcelona um dia e fazer esse passeio. Aliás, eu aconselho uma passadinha pela região da Catalunha que tem paisagens lindas, com um povo muito simpático e acolhedor. Foi uma boa escolha que fiz, repetiria para ficar mais tempo para poder conhecer melhor tudo o que o lugar tem a oferecer!

Então, aconselho a todos os leitores que conheçam Barcelona e que se percam por aquelas ruelas com arquitetura gótica e muita história, e não se esqueçam, cuidado com seus bolsos!