Super Banner

segunda-feira, 30 de março de 2015

Dicas para Viajar com Crianças

Crianças dão trabalho e é preciso ter cuidado para não transformar seu tempo de descanso e curtição com os pequenos em momentos de stress e irritação. Então, atendendo a alguns pedidos de nossos leitores, daremos aqui algumas dicas sobre como curtir uma viagem bacana com sua família completa e de modo que as crianças aproveitem tanto quanto os pais.

1 - A Hora de Começar

O ideal é que o hábito de viajar em família comece o mais cedo possível. Crianças até 2 anos de idade não pagam passagens aéreas e nem hospedagem, então é um bom incentivo para conhecer lugares legais, e quanto mais cedo a criança entrar nesse ritmo de viagem, melhor ela se comportará futuramente nos próximos passeios.


As companhias aéreas abrem o embarque preferencial para gestantes, idosos, deficientes e pessoas com crianças de colo. Uma vez no avião, se você não quiser passar todas as horas de voo com o pequeno no colo, pagando uma taxa a mais (que varia de companhia em companhia), é possível instalar uma espécie de "chiqueirinho" para a criança. Mas apenas naquelas poltronas da primeira fila, onde há um grande espaço entre a poltrona e o corredor (geralmente próximo à saída de emergência) e em voos longos (como internacionais). Com relação à alimentação, você pode solicitar que o/a comissário/a de bordo esquente a mamadeira ou a papinha da criança nas horas das refeições.

2 - Explique as Situações

Quando a criança já está em uma idade que entende o que os pais falam e já sabem o que podem ou não fazer, a melhor opção é explicar todas as situações para ela. Se algum imprevisto acontecer (normalmente acontece, independente do destino ou tempo de viagem), tente passar tranquilidade mas informar o porque aquilo está acontecendo. Lembre-se que a culpa do imprevisto não é de seu filho e ele precisa de orientação para saber como agir.


Aqui vale lembrar que é fundamental ter controle sobre o comportamento da criança. Dentro do avião, explique que ela deve falar baixo, não deve gritar, não pode ficar circulando pelos corredores e nem fazendo barulho porque os outros passageiros podem querer descansar ou se distrair.

3 - Distrações

Tenha em mãos sempre alguma coisa que seu filho goste para tentar distraí-lo caso perceba que ele está impaciente. Hoje em dia o uso de tablets acaba ajudando muito nessas horas, permitindo que você leve aquele programa de TV ou joguinho favorito do pequeno para que tenha tempo de pensar em um plano B para resolver o motivo de impaciência da criança. Para os momentos que se passarem já no destino da viagem, vale levar o brinquedo favorito dele e vale incentivar o contato com outras crianças.


4 - Fazendo as Malas

Quem tem criança carrega muita coisa, isso é praxe. Os pais podem até esquecer itens importantes de uso pessoal porque estão pensando nos milhares de itens que o filho precisa, como cadeirinha de carro, fralda, mamadeira, chupeta, carrinho, roupas, etc. Então o ideal é que você faça uma lista separada de coisas que vai precisar levar para a criança e para os pais. Depois é importante que você coloque todos os itens em cima da cama, por exemplo, antes de fazer a mala.


Dessa forma você consegue visualizar se está levando excessos e consegue cortar alguns itens. Quanto menor e mais funcional a mala, melhor. Lembre-se que as roupas podem ser lavadas, então considere a repetição de peças e não se esqueça que eventualmente comprará alguns itens que podem ser usados ainda na viagem.

5 - Alimentação da Criançada

Considere que estar de férias é não se preocupar com horários e se seu filho já tem idade para entender que ele pode se alimentar bem no café da manhã e comer só um lanchinho no almoço, faça isso. Não fique preocupado com o horário e em fazer todas as refeições. A fome prejudica o humor de qualquer pessoa e pode ser um problema durante uma viagem onde não se sabe o que ou onde comer, mas pode ser totalmente resolvida se você sempre carregar um aperitivo na bolsa. Bolachas, frutas, sementes, sucos de caixinha e até sanduíches podem ser levados sem problemas para quebrar um galho durante o passeio.


6 - Farmacinha

Carregue sempre uma bolsinha de remédios com você, principalmente quando você tem uma criança. Os pequenos são desajeitados, curiosos e se ralar faz parte do crescimento. Outros problemas como resfriados por mudança de temperatura ou até a pressão do avião podem causar desconfortos aos pequenos, e nesses casos é importante que você tenha alguns itens que possam aliviar o sofrimento deles. Mas não se esqueça que não é correto se automedicar. Em caso de situações mais graves, como febres altas e outros sintomas complicados, procure sempre assistência médica antes de tentar resolver o problema por conta própria, isso pode agravar ainda mais o caso.


7 - Passeios

Quando os filhos são pequenos, quem decide o destino e os passeios são os pais, mas vale lembrar da importância de considerar os gostos da criança também. Veja bem, não vale escolher só fazer coisas que a criança gosta, mas é importante dividir as escolhas para que todos aproveitem. Então visitar museus pode ser interessante para todos, mas depois lembre-se de mostrar algo que interesse seu filho como um parque de diversões ou atração voltada ao público infantil.


Quando as férias se passam em hotéis tipo Resort ou em hotéis fazenda, opções de recreação são oferecidas e podem ser bastante interessantes. Deixe seu filho participar das atividades com monitores e outras crianças, além de gastar energia você pode fazer os seus passeios sem preocupação.

8 - Compras

A gente sempre quer trazer uma lembrancinha dos lugares que visitamos, e sempre compramos presentinhos para a família e amigos mais próximos. No entanto, não se esqueça que as crianças enxergam isso de outra maneira e podem ter dificuldade de entender como funciona a questão de preço e quantidade de dinheiro dos pais. O ideal é que você separe uma quantidade de dinheiro para elas possam gastar e explique que é preciso fazer escolhas e tomar decisões porque a quantidade de dinheiro não será suficiente para comprar tudo que acharem interessante.


9 - Identificação e segurança

Em alguns lugares públicos ficamos tensos com o movimento das crianças que já são mais independentes e andam sozinhas. A dica é sempre usar algum tipo de identificação e fornecer informações para a criança, por exemplo, ensine seu número de telefone e endereço para que seu filho fale para alguém caso se perca. Hoje em dia há também pulseirinhas que você coloca no pulso de seu filho com suas informações de contato. Em locais abertos, como na praia, por exemplo, mantenha a criança sempre com boias (caso não saibam nadar) e alguma peça, como uma sunga ou biquíni, de cor chamativa.


No hotel, ensine o número do quarto e sempre informe onde você estará caso ela vá brincar e depois precise te encontrar. Nesses casos, também, é importante pedir que ela volte de tempos em tempos para falar se está tudo bem, para comer algo e saber se haverá alguma mudança de ponto de encontro com os pais nas próximas horas.


Resumindo, a viagem em família é possível sim, você só precisa se organizar e se certificar que as crianças te obedeçam e respeitem. É muito legal quando os pais que  gostam de viajar passam esse costume para seus filhos, que desde cedo vão entender a importância de conhecer lugares e culturas novas.