Super Banner

domingo, 26 de julho de 2015

Assistimos: Pixels

O Por Onde Vamos foi ao cinema esta semana conferir a estreia de Pixels, este filme que busca divertir e homenagear os games dos anos 80 no maior estilo e recheado de efeitos especiais muito bacanas!
Pac Man encontrando seu criador Toru Iwatani em Pixels
Nossa crítica escrita é sem spoilers, então não se preocupe que não entregaremos nada que estrague sua experiencia de assistir o filme. Caso você já tenha assistido, no final do post tem nossa crítica com spoilers, não deixe de conferir.

Pixels tinha tudo para ser mais um dos inúmeros pastelões americanos (ou besteiróis) estrelado por Adam Sandler, afinal o ator já é marcado por filmes que carregam inúmeras piadas e pouca história. Porém, fomos positivamente surpreendidos pelo que vimos no cinema, mesmo que o roteiro não fosse o carro chefe, as piadas divertiram e a trama nos convenceu, por mais absurda que parecesse.

Os Arcaders, aqueles que tentarão salvar a Terra dos alienígenas em Pixels

Apostando em um elenco que tem crescido de notoriedade em Hollywood, como Peter Dinklage (Game of Thrones), Josh Gad (Quebrando a Banca, Jobs), Kevin James (Hitch) entre outros, conseguiu equilibrar a temática anos 80 com uma história divertida de que os nerds devem salvar o mundo de uma invasão alienígena composta por personagens de vídeo games.

Donkey Kong, o vilão de Pixels
Batendo o olho no plot, com certeza tivemos a impressão de que estaríamos perdendo tempo, porém Pixels conseguiu nos convencer de que os nerds poderiam salvar a Terra com armas de luz! Obviamente houve suspensão de descrença em muitas partes, porém fomos conquistados pelo filme e foi possível se divertir muito com as referências a jogos clássicos dos arcades como Donkey Kong, Pac Man e Centipede.

Arcaders em mais uma cena de Pixels
Com um visual caprichado e muito bem inserido, ficamos bastante satisfeitos com os efeitos especiais, um elemento que era muitíssimo esperado pelos espectadores. Os personagens eram compostos de múltiplos cubos iluminados que a medida que era destruídos formavam cubinhos menores, um recurso muito trabalhoso, porém com um resultado bem interessante!

Nossa opinião final é que o filme vale a pena. Você não pode levar o filme a sério, se o fizer vai odiar o filme, porém se você curte jogos antigos e bons efeitos especiais, vai amar. Seguem nossas notas

Pedro - 7,5 - Convenceu bem e divertiu bastante
Catarina - 7,5 - Boas piadas e personagens legais

Confira nossa crítica com spoilers: